NotíciasAJUFESP

Outros 54 alunos de São Paulo participam do Projeto Juízes na Escola
“Se você estivesse frente a frente com um juiz ou uma juíza federal, o que perguntaria para eles?”. A provocação é o ponto de partida do projeto Juízes nas Escolas, iniciativa da AJUFESP (Associação dos Juízes Federais de São Paulo e Mato Grosso do Sul) lançado no final de 2015 e que chega ao segundo ano de existência com o objetivo de levar a alunos do ensino médio de escolas públicas noções de cidadania e informações sobre a Constituição Federal e o Poder Judiciário. Tudo isso, num formato diferente, no qual alunos e juiz batem um papo informal a partir das dúvidas dos jovens.

Nesta segunda-feira, 11 de setembro, foi a vez de 54 alunos do terceiro ano do ensino médio da Escola Estadual Professor Gabriel Ortiz, localizada no bairro de Vila Esperança, na zona leste de São Paulo (capital), terem o primeiro contato com o projeto – uma das prioridades da recém-empossada diretoria da AJUFESP. Antes da Gabriel Ortiz, outras três escolas paulistas e cerca de 150 estudantes participaram da iniciativa. A conversa com os estudantes é sempre acompanhada da presença de professores. No encontro desta segunda, participou o professor de sociologia da instituição David Nelson Araújo Campos.

A ideia, conforme explicou o juiz federal Paulo Marcos Rodrigues de Almeida, diretor de Ações Sociais e Cidadania da AJUFESP, é que o trabalho feito até agora em instituições de ensino da região metropolitana de São Paulo possa ser replicado e multiplicado em outros municípios do interior de São Paulo e Mato Grosso do Sul. “Estamos preparando um material para disponibilizar no nosso site. Assim, todo juiz que quiser ter essa troca com alunos, já terá uma referência para levar o projeto nas regiões onde atua”, explicou Almeida, que esteve na Vila Esperança.

O diretor da AJUFESP relata que as perguntas que surgem neste contato entre juízes e estudantes partem de dúvidas básicas como “o que faz um juiz?” ou “quanto ganha?”, até questões relacionadas ao contexto social no qual as escolas e seus alunos estão inseridos, como “Por que algumas pessoas ficam presas tanto tempo sem julgamento?” ou “Esses casos de corrupção tiram recursos que viriam para a saúde ou educação no nosso bairro?”.

O ensino médio, na avaliação do juiz, é o momento ideal para esta aproximação dos magistrados com adolescentes que em breve estarão tentando entrar em uma universidade e também no mercado de trabalho. É o momento destes jovens brasileiros conhecerem seus direitos e deveres e terem uma certa proximidade com a Constituição Federal.

Após o bate-papo, cada aluno recebeu um exemplar de bolso da Constituição. Os exemplares foram doados pela Livraria do Supremo do STF (Supremo Tribunal Federal), que apoia o projeto da AJUFESP. A conversa com os estudantes da escola do Bairro Esperança foi acompanhada pelo professor de sociologia da instituição David Nelson Araujo Campos

Como participar:

Associados da AJUFESP e também juízes federais que quiserem participar do “Projeto Juízes na Escola”: contatar a Diretoria de Ações Sociais e Cidadania da entidade.
As escolas interessadas a participar podem enviar um e-mail para: administrativo@ajufesp.org.br.