NotíciasAJUFESP

Mesmo com a pandemia, produtividade dos juízes Federais da 3ª Região foi maior em 2020 do que em 2019

Apesar dos desafios impostos pela pandemia da Covid-19, a produtividade de juízas e juízes Federais do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3) e das Varas Federais de São Paulo e Mato Grosso do Sul foi maior em 2020 em relação ao ano anterior.


No TRF3, o crescimento foi de 1% de um ano para outro - 181,7 mil julgamentos contra 179,9 mil em 2019. Nas Varas Federais, a produtividade cresceu 4,3%, com salto de 232 mil processos julgados em 2019 para 242 mil no ano passado.


De acordo com a análise do levantamento realizado pela Divisão de Estatística e Gerenciamento de Dados Estratégicos do TRF-3, o maior regional do país englobando a Justiça Federal dos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, contribuíram para a manutenção de altos índices de produtividade o processo Judicial Eletrônico e o suporte de TI dado a magistrados e servidores durante a pandemia.


“De uma semana para outra, tivemos que aumentar em 25 vezes a capacidade de acessos por VPN, além de obter novas licenças de software, ampliar banda larga, adquirir equipamentos", relata o desembargador Federal Paulo Domingues, presidente da Comissão de Informática do TRF e diretor de Comunicação da AJUFESP (Associação dos Juízes Federais de São Paulo e Mato Grosso do Sul). “A agilidade na resposta foi crucial para que se mantivesse a alta produtividade”, explica.


Para o desembargador federal, que também faz parte do COMIT (Comitê Multidisciplinar de Governança de Tecnologia da Informação e Comunicação da 3ª Região), os números do levantamento consagram os esforços realizados para a manutenção da prestação jurisdicional em meio à pandemia.


A virtualização dos processos também foi um fator importante para o bem-sucedido trabalho a distância empreendido por servidores e magistrados na Justiça Federal da 3ª Região. A partir de 2018, o Tribunal deu início à inserção de todos os processos físicos para o ambiente do Processo Judicial Eletrônico (PJe). Até dezembro do ano passado, a Seção Judiciária de São Paulo já tinha atingido 90% de seu acervo digitalizado.


“O alto grau de virtualização, aliado à capacidade de adaptação do TRF3 à nova realidade trazida pela pandemia, juntamente com a expansão do teletrabalho e o esforço de todos os juízes e juízas, fizeram com que toda a 3a Região experimentasse um ganho em sua produtividade”, analisa o presidente da AJUFESP, juiz Federal Otávio Martins Port. “É importante ressaltar que o aumento de produtividade é resultado de uma soma de esforços, devendo ser reconhecido o trabalho profícuo e seguro de todos os magistrados e magistradas para que esses resultados fossem alcançados”, completa.


Veja os dados, nas imagens.